Como a Magazine Luiza reduziu em 40% seus custos com demandas judiciais

By setembro 1, 2018blog

Muito além dos aspectos financeiros, mudança visava transformar dados do departamento em insights relevantes para o negócio.

Cultura ágil. MVP (sigla, em inglês, para produto mínimo viável). Modelo de trabalho colaborativo. Integração das áreas. Foco em dados.

Aqui, parece que estamos falando do dia a dia de uma startup, mas é a descrição do departamento jurídico da Magazine Luiza.

Com antecedência, a varejista percebeu que o jurídico era um departamento estratégico para digitalização da empresa.

Iniciava o processo de transformação de um jurídico tradicional para o que há de mais moderno no mercado.

Entre as primeiras iniciativas da área, podemos destacar o uso de um software na nuvem e a utilização do mesmo CRM do setor atendimento.

Dessa forma, o jurídico conseguia ter uma visão muito mais ampla do negócio e, assim, ser mais participativo nas tomadas de decisão.

Claro que houve dificuldades durante o processo de digitalização do setor. Afinal de contas, os profissionais do setor não estavam acostumados a lidar com tantos dados.

Era preciso encontrar uma solução prática.

Foi assim que nasceu a parceria entre a Magazine Luiza e a Legal Insights, que é uma startup de soluções jurídicas.

Trabalhando em conjunto, elas desenvolveram uma plataforma capaz de armazenar uma série de dados externos e internos.

Por trás desse processo, havia uma missão: transformar dados em insights relevantes para o negócio.

E parece que o projeto foi bem sucedido.

Em apenas 9 meses, a parceria gerou uma redução na ordem de 40% dos custos com demandas judiciais.

Quer saber mais sobre essa transformação do jurídico?

Leia o artigo até o fim.

 

Muito além dos custos no jurídico

 Os resultados da parceria vão muito além dos aspectos financeiros.

Nesse curto período, a plataforma trouxe muitos benefícios para a qualidade do trabalho do departamento jurídico. Podemos destacar:

 

  • Identificar regiões estratégicas: com atuação em todo território nacional, a Magazine Luiza enfrenta problemas judiciais em diversos pontos do país. Graças à organização dos dados, o Custos no jurídicodepartamento jurídico identificar as regiões com mais demandas e, dessa forma, contratar novos escritórios;
  • KPIs para os escritórios: ao definir e acompanhar indicadores para cada escritório parceiro, o setor jurídico consegue cobrar resultados de forma mais precisa;
  • Identificar a causa raiz: para tanto, a plataforma Legal Insights consolida dados externos e internos – de todos os departamentos. Assim, a análise de cada informação tem muito mais profundidade, acarretando uma tomada de decisão mais precisa;

 

A partir de dados detalhados, o jurídico consegue levar informações relevantes para todos os outros departamentos da empresa.

Um exemplo é apresentar para a área de marketplace qual é o revendedor que traz mais problemas processuais.
Fazendo isso, o departamento jurídico passa a ser visto com bons olhos internamente, como um setor estratégico para o negócio.
Aqui, vale reforçar que a plataforma foi apenas um meio para o sucesso desse projeto.
Por trás de toda a ferramenta, é preciso haver profissionais qualificados.

 

“A Legal Insights não é mágica. Quem conseguiu alcançar todos os resultados foi o departamento jurídico da Magazine Luiza. Usando a ferramenta, eles conseguiram gerar insights relevantes ao negócio”, destaca Speca.

 

Por que o sucesso tão rápido?

 Certamente, a mentalidade da Magazine Luiza facilitou bastante para o sucesso do projeto. Aliás, a inovação está mesmo no DNA da empresa.
Muito antes da consolidação do comércio eletrônico, a empresa já adotava diversas práticas que são comuns hoje em dia, como pontos de venda sem estoque e sem mostruário.Custos no jurídico
Inclusive, foi a primeira loja brasileira a lançar um social ecommerce, o Magazine Você.
Em constante evolução, não é de estranhar que a Magazine Luiza figura na lista das empresas mais inovadoras da América Latina, elaborada pela revista americana Fast Company.
Essa transformação digital “contaminou” todos os setores da empresa, até mesmo o jurídico que sempre é visto como o mais conservador no mundo organizacional.

Agora, sabemos que para inovar não basta ter dinheiro no caixa. É preciso sair da zona de conforto e assumir riscos.
E foi exatamente isso que aconteceu.
Quando a Magazine Luiza contratou a Legal Insights, a startup não tinha realizado nenhum projeto.
A varejista foi seu primeiro cliente, o que mais uma vez prova que não se pode ter receio da inovação.
Por fim, outro segredo para o sucesso da parceria foi a troca constante de informação entre Magazine Luiza e Legal Insights.

“Mensalmente, fazemos encontros para debater os resultados e identificar pontos que precisam ser melhorados. Por isso, caminhos em uma evolução contínua”, comenta Speca.

 

Um pouco mais sobre a Legal Insights

“Mais Data Driven, menos Data Venia”. É com essa proposta que surge, no começo de 2017, a Legal Insights.Custos no jurídico
De forma resumida, trata-se de uma plataforma de inteligência jurídica na nuvem que reúne e organiza uma série de dados da empresa.
Ao fazer uma análise dessas informações, a ferramenta gera conhecimento para os gestores tomarem decisões mais assertivas.
Para deixar mais claro a eficiência da plataforma, Speca contou uma experiência que aconteceu com um outro cliente.

“Por meio dos dados gerados, conseguimos identificar a transportadora que apresentava a maior taxa de problema por entrega. Isso fez com que o jurídico entrasse em contato com a área de logística para passar essa informação”, relata o fundador da Legal Insights.

Como já falamos no começo deste texto, a Magazine Luiza foi o primeiro cliente da Legal Insights.

Essa experiência positiva abriu as portas para que a startup levasse sua solução para outras empresas.

Atualmente, estão em sua carteira de clientes, além da Magazine Luiza, Centauro, Stone, Suzano e outras empresas.

Isso apenas reforça que a inovação no jurídico já é uma realidade. Aliás, já escrevemos sobre isso neste artigo aqui.

“Do mesmo jeito que conseguimos obter bons resultados com a Magazine Luiza, eu tenho um dever pessoal com os outros clientes da Legal Insights em torná-los um case de sucesso”, afirma o fundador da startup.